4 causas para dormência nos pés ao pedalar.

4 causas para dormência nos pés ao pedalar.

Sente falta de sensibilidade nos pés e na zona inguinal ao pedalar? Este artigo é para si!

Pedalar por horas e horas já por si é um desafio imenso – físico e mental, mas com dormência nos pés ainda se torna mais desafiante.

Dormência, entorpecimento ou mesmo a dor nos pés ao pedalar é um problema que a maior parte dos ciclistas têm de enfrentar pelo menos uma vez na vida. Podemos até não experienciar esse desconforto frequentemente, mas nas voltas mais longas vamos constatar que o problema ainda não está completamente resolvido. Para nos livrarmos definitivamente da dormência ou falta de sensibilidade dos pés ou mesmo da zona genital temos de estar atentos às dicas que se seguem:

  1. Ajuste do calçado de ciclismo.

Enquanto pedala é natural que os pés inchem devido ao maior fluxo sanguíneo e até ao aumento da temperatura. Evite sapatos demasiados justos que lhe possam dificultar a circulação.

Quando ajusta o sapato tenha certeza que não aperta em demasia os atacadores, os apertos Boa ou mesmo as fitas de velcro. Isso pode colocar muita pressão nos tendões da parte superior do pé, restringir movimentos do pé e fomentar uma débil circulação sanguínea nessa zona – podendo levar ao adormecimento e falta de sensibilidade do pé.

Escolha um sapato com diferentes opções de fecho. Uma única fita de velcro na parte superior do pé poderá limitar a pressão numa pequena área, em vez de a distribuir ao longo do pé. Alguns modelos serão mais confortáveis do que outros, por isso, experimente e escolha os sapatos de ciclismo com que se sente bem.

Também deve ter atenção ao cleat (sistema dos pedais de encaixe) que está a usar. Se estiver a sentir o cleat na sua planta dos pés tenha em mente que isso pode causar bastante pressão no pé. Escolha um modelo com um cleat suave que promova o conforto durante o movimento de pedalada e coloque menos pressão na planta dos pés.

Quanto à largura e altura do sapato os ciclistas devem usar um sapato mais largo ou mais alto de acordo com o formato do seu pé.

 

  1. Corrija a sua posição na bike.

Outra causa comum do adormecimento e formigueiro nos pés, insensibilidade ou dor poderá ser uma má posição na bike. Claro que a posição mais aerodinâmica (mais inclinado à frente) adotada, principalmente, nas bicicletas de estrada coloca mais stress na zona lombar e na bacia. Para um ciclista amador é importante pensar até que ponto uma posição mais aerodinâmica lhe poderá trazer vantagem. Nestes casos, caso haja compressão de algum nervo espinal, pode causar automaticamente adormecimento dos pés. A solução é alterar a sua posição para um pouco menos agressiva. Frequentemente vê-se ciclistas amadores com selim demasiado alto e recuado. Procure um especialista em bike fit.

Também procure alternar as posições de pedalar em pé e sentado. Isso ajuda a libertar o desconforto nos pés e costas. Também será uma boa ideia fazer algumas pausas e incorporar alguns alongamentos para os isquiotibiais e o pisiforme. A falta de mobilidade dessas articulações da bacia da coluna pode causar irritação e compressão dos nervos na zona da lombar.

Por último atente na forma e dimensão do selim. Um selim demasiado estreito pode provocar compressão da zona genital. Garanta que faz um correto apoio do osso ilíaco de forma a libertar a zona genital.

 

  1. Mantenha-se seco.

O suor dos pés poderá criar uma situação bastante desconfortável na bike.  Na maior parte do tempo isso é causado por passar longas horas em cima da bicicleta com as meias ou os sapatos molhados. Claro que isto é difícil de evitar nas provas ou nos passeios mas tente manter os seus pés secos.

 

  1. Palmilhas ortopédicas.

A posição do cleat é de extrema importância uma vez que pode também, levar a adormecimento do pé. Isto implica adiantar ou recuar o cleat. Para levar a cabo este ajuste, devemos calçar o sapato e encaixá-lo no pedal. Com o cranque em 90º e o pé plano, iremos procurar a posição do metatarso. O metatarso é o osso do pé que mais sobressai, e é vulgarmente conhecido como joanete. Se olhares de cima, deverás comprovar que este osso está à frente do eixo do pedal cerca de 5-6 mm para pés pequenos e à volta de 10 mm para pés grandes. Um bom especialista no bike fit poderá ajudá-lo a resolver este problema durante a sua avaliação.

Entretanto, caso as mudanças no cleta não resolvam o problema, um podologista poderá resolver, especialmente, se você tem uma arco plantar demasiado grande ou demasiado pequeno.  Casos mais severos poderão usar palmilhas ortopédicas para corrigir o posicionamento do pé.

 

Por último e não menos importante é vestir uns bons calções com uma boa carneira que permitam que desfrute do máximo conforto e possibilitem o maior rendimento.

Aproveite para ver a nossa gama de calções de ciclismo Hegira Cycling.

BONS TREINOS!

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fique a par das novidades!

Receba a nossa newsletter.

Obrigado por subscrever

Veja as nossas promoções!

  • Nenhum produto no carrinho.