Todos os ciclistas deviam conhecer o seu limiar anaeróbio.

Todos os ciclistas deviam conhecer o seu limiar anaeróbio.

Mas afinal o que é o limiar anaeróbio?

Todos os ciclistas deviam conhecer o seu limiar anaeróbio, mesmo os amadores, e só assim conseguirem planificar com rigor a sua época de treinos desportiva. Mas o que é o limiar anaeróbio? O limiar anaeróbio não é mais do que uma intensidade de esforço a partir da qual as concentrações de lactato sanguíneo sobem de forma exponencial. Quando essa intensidade de esforço é excedida dá-se uma acumulação de lactato que provoca a fadiga mais rapidamente. Abaixo diferenciamos o limiar aeróbio (LA) e o limiar anaeróbio (LAN).

 

            Limiar Aeróbio (LA)

É uma zona de baixa intensidade, que compreende cerca de 70% do batimento cardíaco máximo. Produzimos energia com a presença de oxigénio nos processos metabólicos e sem acumulação de ácido láctico, resíduo químico que é associado à fadiga e proveniente do metabolismo do glicogénio muscular para produção de energia durante o esforço físico.

Nesse nível de intensidade, no entanto, a pequena quantidade de lactato gerada é reutilizada pelo organismo e por isso não interfere no rendimento durante o exercício. O trabalho nesta zona fisiológica é um importante alicerce do treino, normalmente executado no período de base, no início da época desportiva. Neste nível de intensidade podemos andar horas.

Limiar Anaeróbio (LAN)

Quando a intensidade do treino aumenta, o organismo passa a gerar uma quantidade de lactato maior do que ele é capaz reabsorver. O LAN é o limite do equilíbrio entre a produção e remoção deste subproduto do exercício. Ciclistas com mais experiência conseguem aguentar cerca de 1 hora nesta intensidade. Acima desse limiar há um desequilíbrio e consequente acumulação de lactato no organismo, o que contribui para a fadiga muscular.

E qual a importância de identificar o limiar anaeróbio? Principalmente por determinar o nível de esforço a que o atleta consegue manter sem “quebrar”, parâmetro fundamental para a realização de treinos de alta intensidade, como intervalados, por exemplo. Além disso, treinar no LAN permite um aumento do volume/débito cardíaco, aumento das enzimas mitocondriais, maior vascularização sanguínea e melhoria da capacidade aeróbia (Vo2máx).

Um ciclista amador deve treinar a potência anaeróbia (ou resistência de curta duração) pelo menos uma vez por semana. Deve-se utilizar séries curtas de 20 segundos a 2 minutos com intervalos de recuperação mais longos com o dobro do tempo da série.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fique a par das novidades!

Receba a nossa newsletter.

Obrigado por subscrever

Veja as nossas promoções!

  • Nenhum produto no carrinho.